Lugar Cativo

"A melhor defesa é o ataque" Hugo Meisl

Prevenir a tempo


Os problemas com a falta de público nos estádios não são apenas exclusividade portuguesa. As primeiras 6 jornadas da Premier League registaram uma baixa de 4,5% de espectadores comparativamente ao mesmo período da época passada; traduzindo em números concretos de uma média de 33 mil espectadores, passou-se para 32.500 um número que em Portugal é considerado como excelente para certas equipas.

Mesmo sendo provável que se trate de algo que se corrigirá com o avanço da temporada, os ingleses não estão dispostos a perder o que ganharam com o estabelecimento da Premier League em 1992, altura em que a média de assistências rondava os 22.000. Como tal, foi desde já marcada para o próximo mês uma reunião da Premier League para discutir o problema. Sobre a mesa vão estar problemáticas como o preço dos bilhetes e o excesso de futebol na televisão, embora não estando de parte o problema da possível falta de competetividade.

Mais do que as razões, o exemplo que aqui importa retirar é o de como o que à partida poderia ser encarado como um problema insignificante despoletou para a acção as mais altas figuras do campeonato inglês, bem como o acompanhamento do processo por parte do governo britânico. Aquilo que os ingleses procuram evitar, uma geração que só assiste a jogos pela TV, é aquilo que em Portugal é a realidade; a diferença é que lá procura-se prevenir, cá nem tão pouco reagir parece ser uma preocupação.
« Home | Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »
| Next »

0 Comentários:

Comentar