Lugar Cativo

"A melhor defesa é o ataque" Hugo Meisl

2ª jornada

terça-feira, agosto 30, 2005
Ao fim de 2 jogos Rio Ave e Gil Vicente são as 2 notas mais positivas deste campeonato: Sousa continua com o bom trabalho de Brito, e os de Barcelos parecem querer garantir o seu espaço na divisão maior bem mais cedo do que na temporada transacta. Porto, Sporting e Braga, com maior ou menor dificuldade, garantiram os 6 pontos em jogo; se para dragões e leões é o que se de mínimo exige, o bom começo da equipa de Jesualdo vem alimentar as já elevadas expectativas a respeito do rendimento dos bracarenses.

As desilusões são para já Benfica, que terá um jogo vital frente ao Sporting na próxima ronda, Guimarães e Marítimo. Falar de jogos de grande importância à 3ª jornada pode parecer exagero, mas a partida de Alvalade vai marcar a diferença entre 2 e 8 pontos de distância, o que é bastantes, mesmo que procissão ainda vá no adro. Os candidatos à Europa provenientes da cidade-berço e do Funchal sofrem de um mesmo problema: treinador errado! Nem Juca, nem Pacheco parecem estar à altura do exigido.

Quem para já também me desiludiu foi o Boavista, que ainda não venceu apesar de ter jogado contra dois candidatos à despromoção. Pela positiva destaco ainda a Naval que arrancou bem para quem se estreia no patamar superior. Cajuda continua a marcar pontos.

O mau começo da União de Leiria não me surpreende, já que acredito que nem o plantel foi reforçado com a qualidade necessária, nem a escolha do técnico foi a mais feliz. Quem disso se aproveitou foi o Belenenses, que acredito ter capacidade para conquistar um lugar europeu sob o comando de Carvalhal.

Em termos de jogadores o grande destaque destas 2 jornadas vai para já para Bruno Fogaça, o ponta-de-lança que Cajuda diz ter encontrado por acaso. Dois golos, um de inspiração e outro de classe são para já o cartão de visita de um jogador que promete.

Desconto de tempo

sábado, agosto 27, 2005
1. A questão Nuno Valente parece ter encontrado o seu epílogo com a transferência do internacional português para o Everton. Já muito se falou desta questão mas normalmente para criticar a posição da SAD do FC Porto sem haver grande preocupação em se questionar os motivos que levaram ao desenrolar do evento. Sem querer desculbalizar o clube, considero que a luta do FC Porto é inteiramente justa e essencial para o futebol português (e internacional), embora considere que Nuno Valente não tinha que ser crucuficado da forma que foi.

A SAD portista tem estado na vanguarda do movimento dos principais clubes europeus que visam criar uma força de pressão sobre as instâncias federativas; o G-14 tem-se batido pela obrigatoriedade das federações assumirem as despesas (em termos médicos e salariais) de jogadores que sofram lesões enquanto representam o seu país. Claro está que nem federações, nem FIFA ou UEFA (mais a primeira) estão interessados em abdicar de privilégios adquiridos sem fundamento e que lhes permitem usufruir do contributo dos atletas sem que para tal gastem um tostão (excepção feita aos prémios). Se um internacional se lesionar ao serviço da sua selecção, cabe ao seu clube arcar com as responsabilidades ficando prejudicado em termos desportivos, ao não contar com o contributo do atleta, e em termos financeiros, aqui triplamente porque não só tem de pagar os tratamentos, como cumprir as suas obrigações salariais e cobrir os prémios do seguro. A selecção quanto muito fica sem o contributo do atleta enquanto este recupera, podendo esse período não coincidir com jogos internacionais e podendo convocar um outro sem que para tal tenha que pagar o que quer que seja.

No caso presente, recordemos que Nuno Valente sofreu uma lesão no jogo Letónia-Portugal, disputado a 4 de Setembro de 2004. De acordo com a avaliação feita pelo departamento médico da FPF a lesão não seria grave; nova avaliação feita quando o jogador chegou ao Dragão demonstrou que tal não se verificava, situação que criou um clima de animosidade entre a SAD azul-e-branca e o departamento médico federativo. A verdade é que Nuno Valente esteve de fora grande parte da época, e quando jogou foi apenas o tempo suficiente para sair ressentendindo-se da lesão sofrida.

Confrontada com esta situação, e tendo em conta o historial de lesões do jogador, a SAD pediu ao departamento médico portista uma avaliação da capacidade física do atleta da qual resultou a evidência de que o joelho do jogador não aguentaria um época sobrecarregada de jogos sem ceder de novo. Perante isto, e com a autoridade de quem sustenta o jogador, foi proposto a Nuno Valente que abdicasse da selecção; proposta rejeitada com toda a legitimidade pelo jogador, que sabe ser esta a sua última oportunidade de jogar uma grande competição. Da parte da selecção apenas hipocrisia e oportunismo: o jogador mesmo sem jogar é convocado (o que é que aconteceu à regra scolariana de só convocar que joga?), e é indemnizado no valor dos prémios dos jogos da selecção que perdeu. Indemnizar o clube, principal prejudicado, não parece ter passado pela cabeça de Madaíl. Note-se que esta é uma situação pela qual passaram outros clubes (Benfica com Simão, o mesmo Porto com Jorge Costa), e não é uma política exclusiva da FPF estando disseminada pelo globo.

A posição do FC Porto é legítima e deverá ser seguida por outros clubes pois só assim se forçará uma mudança. É essencial que quando os clubes libertem os jogadores para os compromissos das selecções tenham garantias que em caso de lesão, não tenham de ser eles a pagar os gastos, pelo menos não na sua totalidade. O futebol é um negócio que os clubes fazem fluir, e por mais líricos que possam ser os patriotismos, não são eles que pagam as vedetas que fazem os adeptos sonhar, vibrar ou exasperar. Nuno Valente foi uma vítima colateral de uma guerra da qual não é parte.

2. A Liga mudou de patrocínio, logo mudou de designação. De Superliga Galp Energia passou a Liga Betandwin.com. Volta a mania de mudar designações como se tal fosse o principal problema. Que tal designarem o campeonato pura e simplesmente por Primeira Liga colocando o nome do patrocinador de seguida ou antecedendo?

3. O jogador de Estrela da Amadora Emerson agrediu Lucho Gonzalez no jogo da primeira jornada no Dragão. Esquecendo-se da bola em disputa, o brasileiro preparou o lance e na altura certa desferiu a cotovelada. Não foi um acesso de fúria ou de frustração perante as investidas do adversário; fou uma agressão preparada e racional. O árbitro da partida, o sr. João Vilas Boas, considerou ser lance para amostragem de apenas um cartão amarelo (certamente reger-se-á por regras que não as da FIFA). A CD da Liga é da mesma opinião, punindo o jogador com a astronómica quantia de 50 euros. Este ano a palhaçado começa mais cedo. Vamos ver o que acontece quando os protagonistas vestirem cores diferentes.


'Desconto de tempo' é o nome da coluna que irei manter no Terceiro Anel, e que será igualmente publicada aqui no Lugar Cativo.

Sorteio da Champions

sexta-feira, agosto 26, 2005
Podia ser melhor, podia ser pior. O sorteio é o que é e não adianta de muito estar a hipotizar acerca de possíveis alinhamentos mais favoráveis. Porto e Benfica têm boas oportunidades para passar à segunda fase, embora acredite mais nos dragões. Começando exactamente pelo Grupo H, parece consensual creditar ao Inter a maior dose de favoritismo quanto mais não seja pelos constantes milhões gastos a reforçar a equipa ano após ano; para a presente temporada juntaram-se aos nerazurri Figo, Samuel e Solari vindos de Madrid como se os que já lá estavam não fossem suficientemente bons. É também a oportunidade de os portistas vingarem a eliminação da época transacta.

O Glasgow Rangers é uma equipa que tanto é capaz de bons resultados, como de cair sem apelo nem agravo em termos europeus. Os adversários escoceses, sobretudo uma equipa que actua no típico 4-4-2 britânico, costumam abrir espaços para o futebol mais técnico dos portugueses; mas a aposta dos protestantes numa boa campanha na Europa é grande, pelo que é de esperar dificuldades. O desconhecido Artmedia da Eslováquia tem como único cartão de visita os 5-0 ao Celtic na 2ª pré-eliminatória, a que se seguiu uma derrota de 4-0 em terras escocesas. Com isto espera-se que o FC Porto alcance no mínimo o segundo posto.

O sorteio não foi excessivamente mau para o Benfica já que havia grupos mais fortes, e nos quais a inexperiência encarnada iria resultar numa eliminação mais que certa. O Man Utd dispensa apresentações e dificilmente será por aí que o Benfica irá longe. Restam Villareal e Lille como adversários directos pela luta por um posto de acesso aos oitavos. Os franceses são bem geridos por Puel, e tem a seu favor a consistência que vem de outras temporadas; já os espanhóis têm se cotado como uma das equipas que mais tem progredido nos últimos anos em Espanha e conta no seu plantel com jogadores de grande calibre como sejam Riquelme, Forlán ou Kronkamp. Penso que será nos jogos entre estas 3 equipas que o Benfica terá chances de passar, mas é preciso não esquecer que quase a totalidade do plantel encarnado desconhece o que é a Champions, e isso é um ponto negativo que não pode ser descurado.

De volta

terça-feira, agosto 23, 2005
quer o blog, quer a liga chame-se lá o que se quiser. Os únicos minutos que vi da primeira jornada foram o resumo dos desperdícios portistas perante o Estrela, e os minutos finais da vitória do Braga enquanto matava saudades das francesinhas depois de duas boas semanas na Irlanda. Dos resultados e do que li parece-me que iremos ter um campeonato de bom nível e competitivo, embora não acredite que se repita o que se passou a época passada.

Se quanto ao título a luta se deva resumir aos suspeitos do costume, os lugares na UEFA parecem-me ser este ano alvo da luta mais interessante. Jesualdo Ferreira está a construir uma equipa que pode ir longe, Brito pode fazer renascer o Boavista e Carvalhal já deu mostras de poder levar o Belenenses um lugar mais acima; as dúvidas recaem sobre o Guimarães de Pacheco e do Marítimo liderado por Juca, dúvidas que se devem mais aos treinadores do que propriamente aos plantéis. Cajuda fez história no primeiro jogo da Naval no escalão maior, mas a luta pela permanência não vai ser fácil.

De qualquer forma, acredito que a qualidade este ano poderá ser melhor o que é sempre de festejar. Mas, esperemos pelos próximos capítulos para ver o que sucede.

Champions League: Grupo H

sexta-feira, agosto 12, 2005



F.C. INTERNAZIONALE MILANO


Estádio: Giuseppe Meazza (82’955)
Treinador:
Roberto Mancini
Equipa (4x4x2):
Júlio César – Zé Maria, Córdoba, Samuel, Favalli – Cambiasso, Véron, Figo, Stankovic – Obafemi Martins, Adriano

Figura: Adriano





F.C. PORTO


Estádio: do Dragão (51’000)
Treinador:
Co Adriaanse
Equipa (4x3x3):
Vítor Baía – Sonkaya, Pedro Emanuel, Ricardo Costa, César Peixoto – Ibson, Lucho González, Diego – Jorginho, Lisandro López, McCarthy

Figura: Diego





RANGERS F.C.


Estádio: Ibrox (50’343)
Treinador:
Alex McLeish
Equipa (4x4x2):
Waterreus – Ricksen, Pierre-Fanfan, Rodriguez, Kyrgiakos – Barry Ferguson, Ian Murray, Lovenkrands, Buffel – Nacho Novo, Prso

Figura: Dado Prso





F.C. ARTMEDIA BRATISLAVA


Estádio: Tehené Pole (30'087)
Treinador:
Vladimir Weiss
Equipa (4x5x1):
Cobej – Burák, Débnar, Konecny, Tchur – Borbély, Vascak, Kozak, Fodrek, Urbanek - Halenar

Figura: Juraj Halenar


Inter de Milão e FC Porto são os favoritos à passagem para os oitavos-de-final, com os comandados de Mancini a liderarem a bolsa de apostas para a obtenção do primeiro lugar. Não é de esperar no entanto que os portistas deixam escapar essa posição sem luta e certamente almejarão a liderança. O Rangers pode ser uma equipa a ter em conta desde que não depende exclusivamente dos resultados caseiros, um handicap que persegue a equipa há alguns anos. Os estreantes do Artmedia já fizeram mais do que seria esperado e dificilmente terão algo a dizer quanto ao desfecho final do grupo, embora possam causar problemas quando actuarem em casa.


Previsão: 1) Inter; 2) FC Porto; 3) Rangers; 4) Artmedia.

Champions League: Grupo G





LIVERPOOL F.C.


Estádio: Anfield Road (45’345)
Treinador:
Rafael Benítez
Equipa (4x4x2):
Reyna – Finnan, Carragher, Hyypia, Riise – Xabi Alonos, Steven Gerrard, Harry Kewell, Luís Garcia – Morientes, Djibril Cissé

Figura: Djibril Cissé





CHELSEA F.C.


Estádio: Stamford Bridge (42’142)
Treinador:
José Mourinho
Equipa (4x3x3):
Cech – Paulo Ferreira, John Terry, Gallas, Del Horno – Makelele, Lampard, Gudjohnsen – Arjen Robben, Damien Duff, Drogba

Figura: John Terry





R.S.C. ANDERLECHT


Estádio: Constant Vanden Stock (21’619)
Treinador:
Frank Vercauteren
Equipa (4x4x2):
Zitka – Vanden Borre, Tihinen, Kompany, Deschacht – Vanderhaege, Bart Goor, Wilhelmesson, Baseggio – Jestrovic, Serhat Akin
Figura:
Walter Baseggio





REAL BETIS BALOMPIÉ


Estádio: Manuel Ruiz de Lopera (62'000)
Treinador:
Lorenzo Serra Ferrer
Equipa (4x4x2):
Doblas – David Rivas, Luís Fernández, Melli, Juanito – Marcos Assunção, Rivera, Joaquín, Xisco – Edu, Ricardo Oliveira

Figura: Joaquín


Um grupo que não deverá causar transtorno ao Chelsea de Mourinho, que certamente caminhará para a fase seguinte sem percalços. O actual campeão europeu, Liverpool, tem todas as condições para progredir para os oitavos-de-final, embora não se possa deixar de parte uma surpresa de um Bétis que tem na sua equipa titular jogadores de grande qualidade. No entanto, a falta de soluções à altura no banco deverá afastar os sevilhanos de um dos dois lugares de acesso à fase seguinte, sendo o terceiro lugar a sua situação final mais provável. Quanto aos belgas do Anderlecht, limpar a honra do clube após a prestação da época passada será o máximo que podem almejar.


Previsão: 1) Chelsea; 2) Liverpool; 3) Bétis; 4) Anderlecht.

Champions League: Grupo F





REAL MADRID C.F.



Estádio: Santiago Bernabéu (72’116)
Treinador:
Wanderlei Luxemburgo
Equipa (4x3x3):
Casillas – Michel Salgado, Sérgio Ramos, Ivan Helguera, Roberto Carlos – Júlio Baptista, David Beckham, Zidane – Robinho, Raúl, Ronaldo
Figura:
Robinho




OLYMPIQUE LYONNAIS



Estádio: Gerland (41’044)
Treinador:
Gérard Houllier
Equipa (4x4x2):
Coupet – Réveillère, Cris, Caçapa, Monsoreau – Tiago, Juninho, Govou, Malouda – Wiltord, Carew

Figura: Juninho Pernambucano




OLYMPIACOS C.F.P.



Estádio: Georgios Karaiskaki (33’334)
Treinador:
Trond Sollied
Equipa (4x3x3):
Nikopolidis – Mavrogenidis, Kostoulas, Anatolakis, Georgatos – Yaya Touré, Stoltidis, Rivaldo – Djordjevic, Babangida, Konstantinou
Figura:
Rivaldo



ROSENBORG B.K.



Estádio: Lerkendal (19'911)
Treinador:
Per Marthin Hogmo
Equipa (4x4x2):
Espen Johnsen – Basma, Riseth, Alejandro Lago, Mikael Dorsin – Helstad, Strand, Orjan Berg, Jan Gunnar Solli – Frode Johnsen, Braaten

Figura: Orjan Berg


Este é outro grupo cujo desfecho parece pouco menos que previsível. Real Madrid e Lyon deverão qualificar-se sem grandes dificuldades, com os merengues certamente a fazer valer o brilho das suas estrelas para tomar de assalto o primeiro lugar. Gregos e noruegueses disputarão entre si o acesso à Taça Uefa, sendo os jogos em casa destas duas equipas os seus grandes trunfos dada a habitual dificuldade dos oponentes quando se deslocam ao inferno de Atenas ou ao gelo de Trondheim.


Previsão: 1) Real Madrid; 2) Ol. Lyon; 3) Olympiacos; 4) Rosenborg.


Champions League: Grupo E







AC MILAN



Estádio: Giuseppe Meazza (82’955)
Treinador:
Carlo Ancelotti
Equipa (4x4x2):
Dida – Cafu, Nesta, Stam, Maldini – Pirlo, Gattuso, Seedorf, Kaká – Shevchenko, Gilardino
Figura:
Andriy Shevchenko




PSV EINDHOVEN



Estádio: Philips (32’400)
Treinador:
Guus Hiddink
Equipa (4x3x3):
Gomes – Reiziger, Alex, Ooijer, Michael Ball – Philip Cocu, Lucius, Timmy Simons – Aruna Koné, DaMarcus Beasley, Jan Venegoor of Hesselink

Figura: Jan Venegoor of Hesselink




F.C. SCHALKE 04



Estádio: Arena Aufschalke (51’922)
Treinador:
Ralf Ragnik
Equipa (4x4x2):
Rost – Rafinha, Bordon, Krstajic, Kobiashvili – Poulsen, Ernst, Bajramovic, Lincoln – Ebbe Sand, Kuranyi
Figura:
Kevin Kuranyi




FENERBAHÇE S.K.



Estádio: Sükrü Saraçoglu (42'928)
Treinador:
Cristoph Daum
Equipa (4x4x2):
Rüstü – Serkan, Fábio Luciano, Önder, Ümit – Marco Aurélio, Selçuk, Appiah, Alex – Márcio Nobre, Anelka
Figura: Nicolas Anelka



Sempre candidato a uma vitória na competição, a equipa do Milan não deverá encontrar grandes dificuldades em progredir para os oitavos-de-final e procurar esquecer a amarga derrota sofrida a época passada. Quem procurará vingança sobre os milaneses são os holandeses do PSV eliminados pela equipa de Rui Costa nas meias-finas da edição passada; mas com as perdas do mercado de Verão, será difícil a Hiddink (agora também seleccionador da Austrália) repetir a proeza da temporada transacta. De facto, mesmo a passagem à fase seguinte está ameaçada por um Schalke 04 em ascensão, e que apresenta uma linha de ataque de respeito com Sand e Kuranyi para além de Asamoah. Sob o comando de Daum, o Fenerbahçe suplantou o Galatasaray como principal potência turca e poderá causar estragos, sobretudo quanto actuar no seu recinto.


Previsão: 1) AC Milan; 2) Schalke 04; 3) PSV; 4) Fenerbahçe

Champions League: Grupo D









MANCHESTER UNITED F.C.



Estádio: Old Trafford (68’190)
Treinador:
Alex Ferguson
Equipa (4x4x2):
Van der Saar – John O’Shea, Rio Ferdinand, Michael Silvestre, Gabriel Heinze – Roy Keane, Paul Scholes, Ryan Giggs, Ronaldo – Wayne Rooney, Ruud Van Nistelrooy
Figura:
Cristiano Ronaldo





VILLAREAL C.F.



Estádio: El Madrigal (23’000)
Treinador:
Manuel Luiz Pellegrini
Equipa (4x3x1x2):
Barbosa – Kronkamp, Gonzalo Rodrígez, Quique Alvarez, Arruabarrena – Marcos Senna, Tacchinardi, Sorín – Riquelme – Lucho Figueroa, Diego Forlán
Figura:
Juan Róman Riquelme





LOSC LILLE MÉTROPOLE



Estádio: Stade de France (79’959)
Treinador:
Claude Puel
Equipa (4x2x3x1):
Sylva – Lichtsteiner, Plestan, Vitakic, Tafforeau – Gygax, Makoun – Debuchy, Aboucherouane, Bodmer - Moussilou
Figura:
Mathieu Bodmer





S.L. BENFICA



Estádio: da Luz (65'647)
Treinador:
Ronald Koeman
Equipa (4x3x3):
Moreira – Nelson, Andersson, Luisão, Léo – Petit, Manuel Fernandes, Karagounis – Simão, Miccoli, Nuno Gomes
Figura: Simão Sabrosa


Como equipa mais forte e mais experiente, não deverá ser complicado aos Red Devils garantirem a passagem para a fase seguinte no primeiro lugar do grupo. A luta do segundo posto deverá ser interessante com o Villareal a partir em vantagem tendo em conta as opções que Pellegrini tem ao dispor, superiores em qualidade em relação aos restantes. Lille e Benfica partem como outsiders neste grupo; Koeman terá que solucionar os problemas que ele mesmo tem criado de forma a minimizar os danos que a falta de experiência de jogos ao mais alto nível do seu plantel pode causar. A vantagem do Lille parte da coesão táctica da equipa que actua junta à algumas épocas, um pormenor que poderá fazer a diferença numa competição em que todos os pontos contam.


Previsão: 1) Manchester Utd; 2) Villareal; 3) Lille; 4) Benfica.

Champions League: Grupo C








F.C. BARCELONA



Estádio: Camp Nou (98’721)
Treinador:
Frank Rijkaard
Equipa (4x3x3):
Victor Valdez – Belletti, Puyol, Edmilson, Van Bronckhorst – Xavi, Van Bommel, Deco – Ronaldinho, Giuly, Eto’o
Figura:
Ronaldinho




PANATHINAIKOS F.C.



Estádio: Spyros Louis (74’443)
Treinador:
Alberto Malesani
Equipa (4x4x2):
Galinovic – Vintra, Goumas, Morris, Seric – Flávio Conceição, Wooter, Biscan, Ezequiel González – Olisadebe, Gekas
Figura:
Olisadebe





WERDER BREMEN



Estádio: Weserstadion (37’097)
Treinador:
Thomas Schaff
Equipa (4x4x2):
Rinke – Owomoyela, Pasanen, Naldo, Schulz – Bauman, Torsten Frings, Tim Borowski, Johan Micoud – Klose, Klasnic
Figura:
Ivan Klasnic




UDINESE CALCIO



Estádio: Friuli (41'652)
Treinador:
Serse Cosmi
Equipa (3x5x2):
De Sanctis – Filipe, Natali, Bertotto – Zenoni, Candela, Vidigal, Muntari, Obodo – Iaquinta, Di Natale
Figura: Vincenzo Iaquinta


Este será sem dúvida um dos grupos mais equilibrados da edição deste ano da Champions League. Apesar de ser o natural favorito à vitória no grupo, o Barcelona não deve esperar uma tarefa fácil já que terá perante si três equipas bem construídas e que são temíveis a jogar perante o seu público. O Pana, habitual presença na competição, poderá estar em fase de adaptação aos métodos de Malesani, mas os 4-1 com que despachou o Wisla Cracóvia em casa demonstra que o ambiente continua infernal em Atenas, agora que o clube se mudou para o Olímpico. Em Bremen, Schaff conta com um meio-campo de categoria com os internacionais germânicos Bauman, Frings e Borowski a darem o suporte à magia de Micoud no apoio a uma dupla tremendamente eficaz composta por Klose e Klasnic. A Udinese demonstrou frente ao Sporting que o estatuto de iniciante não a impedirá de fazer estragos, contando com uma dupla de ataque excepcional apoiada por Muntari, jogador que promete explodir esta época. A luta pelo segundo posto deverá ser excepcional, isto se o Barcelona não escorregar!


Previsão: 1) Barcelona; 2) Werder Bremen; 3) Udinese; 4) Panathinaikos

Champions League: Grupo B







ARSENAL F.C.



Estádio: Highbury (35’364)
Treinador:
Arséne Wenger
Equipa (4x4x2):
Lemman – Touré, Sol Campbell, Cygan, Ashley Cole – Gilberto Silva, Cesc Fabregas, Ljungberg, Reyes – Thierry Henry, Aleksandr Hleb
Figura:
Thierry Henry




AFC AJAX


Estádio: Amsterdam ArenA (51’000)
Treinador:
Danny Blind
Equipa (4x4x2):
Vonk – Trabelsi, Maduro, Escude, Gryegera – Nigel de Jong, Emanuelsson, Pienaar, Sneijder – Ryan Babel, Marcus Rosenberg
Figura:
Wesley Sneijder





AC SPARTA PRAHA


Estádio: Sparta Stadium (20’111)
Treinador:
Jaroslav Hrebik
Equipa (4x4x2):
Blasek – Pospech, Petrous, Lukás, Kadlec – Sivok, Zelenka, Kisel, Pobrosky – Matusovic, Slepicka
Figura:
Lukás Zelenka




FC THUN


Estádio: Stade de Suisse (32'000)
Treinador:
Urs Schonenberger
Equipa (4x5x1):
Jakupovic – Pallas, Hodzic, Milicevic, José Gonçalves – Andreas Gerber, Aegerter, Tiago Bernardi, Nelson Ferreira, Adriano Pimenta – Mauro Lustrinelli
Figura: Mauro Lustrinelli



Este será porventura o grupo mais acessível da competição, cabendo ao Arsenal apenas confirmar o favoritismo que lhe é atribuído. Poder-se-á assistir a um duelo interessante pelo segundo posto entre Ajax e Sparta, duas equipas que nos habituaram a bons espectáculos. Os holandeses são favoritos já que dispões de mais opções para fazer face a eventuais ausências. Quanto as debutantes do FC Thun pouco mais ser-lhes-á pedido do que lutarem com as armas que possuem, que não são efectivamente muitas; contudo não devem ser subestimados já que eliminar Dinámo de Kiev e Malmö não foi obra do acaso.

Previsão: 1) Arsenal; 2) Ajax; 3) Sparta; 4) Thun